BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

quarta-feira, 19 de maio de 2010

A crise dos 29


Estou entrando em crise com a minha idade. Logo eu, que sempre ri com os livros da “Bridget Jones” e achei que não teria este tipo de “paranoia”, confesso: estou abalada. De repente me caiu a ficha que estou indo rumo ao meu último ano na casa dos 20. Se todo mundo tem crise quando chega aos 30, eu estou entrando em crise porque farei 29. Ou seja, além de tudo, sou louca, porque até minha crise chega antes.
A Jú e a Gabi aqui do blog já falaram sobre isso (veja os arquivos) e a Déa postou nesta semana um texto mais ou menos sobre este assunto. Enfim, olhando à minha volta, posso perceber que esta crise é normal e que um dia ataca a todos nós. Chegou o meu dia.
Comecei a perceber que a crise estava atacando quando me vi folheando catálogo e olhando na parte de cremes para o rosto e corpo. Sempre detestei cremes. Sério. Não via lógica em sair do banho, limpinha e cheirosa e me “melecar” toda. Nas poucas vezes em que fiz isso, tive ímpetos de correr para uma nova ducha. Mas aí, com um novo olhar, comecei a encontrar linhas de expressão que antes não existiam no meu rosto. E estas olheiras, de onde saíram? Sem contar sobre os cabelos brancos, mas estes não me incomodam tanto, porque existem ali desde os meus quinze anos. Na verdade, não me incomodavam. Agora, quando eles decidiram sair bem na linha divisória do cabelo, minha vontade é arrancar tudo.
Resumo: comprei creme para as linhas de expressão do rosto, creme firmador para a pele um maldito sabonete esfoliante. E, claro, vou voltar a pintar o cabelo, já que a cor natural está meio “natural” demais. Meu marido, acostumado com minha falta de gosto por estas coisas, até me perguntou:
- “Você tá me traindo?”
E ao responder a ele, me dei conta do que estava acontecendo. Porque minha resposta foi:
- “Não, estou com medo de parecer uma velha”.
Lá no colégio, meus alunos me chamam de “prô”, um apelido carinhoso. Mas quando falam comigo sobre mim, me chamam de senhora. Isso acaba comigo. Senhora é a minha vó, quem, aliás, nunca me deixou chamá-la assim. Se quiser briga com a minha avó é só chamá-la de senhora. Ela sempre responde, de pronto, no alto dos seus 70 anos:
- Não me chame de senhora porque eu não sou velha.
E não é mesmo. Ela trabalha, é super lúcida, anda pra cima e pra baixo e, para meu desespero, pinta o cabelo de loiro porque gosta e não para cobrir os fios brancos, que nunca existiram em sua cabeça.
Um dia destes, lá no colégio, uma aluna perguntou a minha idade. Quando eu disse, ela me respondeu:
- Nossa prô, a senhora é bem mais nova que a minha mãe!
Minha vontade foi responder: “claro que sim, né, já que você tem “apenas” 14 anos e eu teria que ter sido mãe na sua idade para que você estivesse aqui hoje”. Depois, pensando melhor, vi que não seria a resposta adequada e apenas sorri e me dei conta: se antes eu era comparada aos amigos e primos, agora já sou comparada às mães. Devem ser as marcas de expressão.
Decidi que quero chegar inteira aos 30. Quero estar bonita, com cabelos bonitos, sem fios brancos, mesmo que tenha que recorrer ao artificial. Também não quero que as marcas de expressão ao redor dos olhos (me recuso a pensar na palavra ruga) estejam mais suaves, a pele mais dura e o manequim, 42. Não quero parecer uma ridícula tentando esconder a idade, mas não quero ter cara de senhora. Pelo menos não aos 30 anos. Se algum dia me chamarem de “dona Denise”, eu acho que tenho um infarte. Não. Melhor ter um ataque de nervos, já que infarte é doença de velho.

Postado por Denise Lugli

3 comentários:

Evelyn disse...

Ai Dona Denise, a senhora tá doidona mesmo...
kkkkkkkk

Eu acho que a única coisa que me preocupa por estar chegando nos 30 é o fato de ainda estar solteira...

De resto eu levo numa boa.

Bjos

Di Valente disse...

É tão complicado,
assim quando falei da minhas rugas e me disseram, ahhh que rugas ? onde vc tá vendo isso em vc ? etc...etc...Tem coisas que não conseguimos enxergar umas nas outras,
eu vejo todas vocês sem excessão, como lindas mulheres, que ficaram mais bonitas com o passar dos anos. Eu tbm, de alguma forma me sinto melhor hj do que alguns anos atrás.
A idade como disse pesa sim...Mas, isso é normal ! Ainda mais para quem é vaidosa....

Eu a uns anos atrás não me cuidava tanto quanto me cuido hoje. Mas acho sim que devemos começar cedo a se cuidar....Vejo a pele de quem sempre se cuidou como é diferente da minha.
Vejo a pele da minha tia suely por exemplo, que linda a pele dela e isso pq ela tem mais de 50 anos e a pela dela é mais linda que a minha que tem 33....Mas tbm ela sempre se cuidou, nunca a vi dormir de maquiagem, sempre fazia um ritual antes de dormir....hj ela com certeza vê ao se olhar no espelho o benefício que alguns 10 min "perdidos" fizeram com que ela "ganhasse" hoje uma pele invejavel.

Pena que não posso voltar no tempo, pois tudo seria bem diferente.

Beijossss

Michele disse...

Dê,

Eu entendo PERFEITAMENTE o que você está sentindo. Já passei por isso e todos riram de mim. As frases são as mesmas "pra quê isso, você não tem RUGAS!" Eu não tenho mesmo, tenho "linhas de expressão"... kakakakakaka
Eu vejo essas mulheres linda e famosas, com 40, 50 anos e parece que o tempo não passa pra elas e fico me perguntando como faço pra chegar na fonte que elas tomaram banho da juventude. Agora estou na neura de "reformar" minhas pernas, vejo as pernas limpenhas de outras mulheres e quando olho pras minhas vejo varizes que não estavam ali anos atrás. Os cremes eu já uso há algum tempo, mas não sou uma usuária assídua, mais esqueço do que lembro, a única coisa que relmente tenho levado à sério é o protetor solar.

Ahhhh... e essa coisa de senhora, não fique abalada, faz parte, eu já aguento isso por parte dos amigos do Biel e você acredita que até os amigos do Junior me chamam assim... quase morro!!!! Afinal eles tem quase 18 anos...

Essa crise das balzaquinas é normal, e entendemos muito bem!

Beijos... saudade