BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Psiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiu.


Você já tentou ficar em Silencio, no mais puro silencio, sem escutar nada e ninguém, sem nem emitir um som que seja. Eu estava sentindo muito a necessidade de me afastar de tirar um tempo só para mim, de ficar sozinha longe de tudo e de todos, sem questionamentos, pressão, transito, só eu comigo mesma.
Foi quando perguntei para uma amiga se ela conhecia algum retiro que pregasse o silencio, bingo ela me indicou um em Nazaré Paulista, interior de São Paulo, pesquisei e encontrei o lugar, já me identifiquei logo de cara, e a vivência ( nome que eles usam para os “curso”) que escolhi foi a de Meditação Crista, já que iria unir o que eu mais estava precisando, meditação, pratica da Yoga e Silencio.
Fui com a cara e a coragem, já que eu não conhecia nada e nem ninguém e pensa, sair de casa na sexta feira à noite, sozinha, sem nem conhecer o caminho direito, foi maluquice rsrs, apesar de que eu contei com o meu PAIPS( versão Mais agradável do GPS, porque eu ligava p/ meu Pai toda hora rsrs).
Cheguei SÃ e Salva, apesar de ter passado da entrada, quando cheguei ao local, vi uma moça careca no portão, pensei... hummm diferente.
Então, ela me conduziu para onde todos estavam, e apesar de ter chegado no final, deu p/ perceber que a historia ali era levada bem a serio, encontrei com uma amiga que foi fazer outra vivencia e logo nos despedimos, porque de fato eu realmente queria ficar bem quietinha.
Ficamos conversando com o Carlos, que é OBlato e quem nos guiaria o final de semana.
Fui levada para o meu quarto pelo Diego que me avisou de algumas coisas, como por exemplo, que das 22:00 as 5:30 é silencio absoluto, nem a descarga da casa que ficamos poderíamos usar, etc etc.
Entrei no meu quarto, sem o tênis conforme avisado, um quarto simples, mas muito aconchegante, e foi ali que dormi logo em seguida já que as 6:45 já estaria meditando.
Acordei e fui ao encontro dos meus colegas de meditação e ficamos ali, imóveis meditando por pelo menos 30 minutos.
Confesso que é muito difícil meditar, requer muita disciplina e determinação, pois parece que é justamente na hora que nos aquietamos que o cérebro dispara em pensamentos e percebi ali que o caminho seria longo rsrs
Assim que terminamos de meditar, começou as atividades, tomamos o café da manha, sem pronunciar uma palavra se quer, tivemos uma pequena palestra, praticamos yôga para nos ajudar na postura de meditação, agradecemos pela refeição, tudo vegetariano e uma delicia por sinal, cada um é responsável pela sua louça, voltamos a atividades, a noite confesso que manter a concentração foi mais difícil, pois se desprender de toda uma rotina e manias não é nada fácil, mas como eu fui determinada, me mantive concentrada, acho que se eu falei 50 palavras nesse final de semana enquanto estive lá foi muito, lá tínhamos realmente que estar 100% em tudo o que fazíamos, colocar o amor no que fazíamos, e sermos amorosos acima de tudo.
Contemplávamos o silencio, a natureza, a vida.
Ficar em contato com a gente mesmo não é uma tarefa fácil e nem sempre prazerosa, o desapego de manias e egos é a pior parte, mas eu realmente estou disposta a conhecer a Juliana, essa pessoa que eu abandonei por um tempo e que pede por atenção.
A energia e harmonia que aquele lugar tem são realmente convidativas e me fez pensar se a vida que levamos aqui na Grande e Maravilhosa São Paulo é realmente necessária.
Voltei renovada, fortalecida e mais leve, conheci um pouco sobre religião, tive uma experiência de desapego e aprendizado maravilhosa que eu vou sempre levar comigo, e se para viver nessa Grande Metrópole eu tiver que recarregar minhas energias e força em Nazaré, assim o farei.

Muita paz, luz e harmonia para todos vocês e que cada um procure dentro de si o equilíbrio para enfrentar as batalhas que surgem na nossa vida diariamente.
Namastê.



Postado po Juliana (que por enquanto esta em paz rsrsr)



4 comentários:

***Eli Amorim*** disse...

Gostei do texto, de vez em quando, quer dizer, na maioria das vezes, rs, eu preciso de um silêncio para comigo mesma, seja para pensar ou apenas ficar sentada no sofá da sala sem que ninguém pronuncie um único "oi"...
Acho que nós precisamos disso, um momento só nosso, um momento com nossa alma...

Bjos meninas...

Evelyn disse...

Ju, amei...
É engraçado que ao ler os seus posts eu "escuto" a sua voz.
Ai, menina, acho que preciso fazer algo parecido. Ando meio perdidinha, precisando me encontrar.
Depois me dá mais detalhes, please?
Bjo

Andréa disse...

JU,
que tal montarmos uma excursão pra lá, hein?
Fiquei mega-curiosa para conhecer o lugar.
E olha... deve valer a pena mesmo, afinal, você econseguiu passar uma paz enorme no seu texto.
Bjão e não se esqueça:
AMOLHES!!!
Déa

Denise disse...

Ju, eu tava mesmo curiosa pra saber como é que era o esquema, de como se organizariam para meditar e praticar o silêncio. Parece que é uma experiência única, mas acho que eu não conseguiria encarar. Não agora, pelo menos. Requer um esforço que eu não consigo. Mas fiquei mega feliz em saber que te fez tão bem! Beijos